BEM ZINA.

Por Joice Giacomoni.

Cure me, mime me
quero tudo agora, meu bem
zina, éter, neosaldina
esqueci minha calcinha
além do teu nome
lá perto do cobertor.
Traga sua alma à noitinha
mas venha sozinha
sem nenhum amor
com a boca aberta
pronta pro que for.

A porta de trás tá certa
mantenha-se esperta
ligue o pisca alerta
só não lembro onde se aperta.

E não me venha com essa merda
se me passei e falei demais
passen see ya seesse passow
passada esta está
amanhã tem mais
de novo tudo errado
todo dia toda hora
que nada mais me traz
além de todo leite derramado
que não volta pra onde veio nem a pau.

Preciso de alívio imediato
muito açúcar ou muito sal
tudo me incomoda e me inferniza
tragam logo meu bem zina!

Sobre a autora: 

foto_joi.jpg

Uma loira orbitante que às vezes encosta os pés na terra, mas não por muito tempo. Sempre com a cabeça na lua, pode ser vista lá pelos lados de saturno ou marte nos dias nublados. Nos de sol, foge pra seu abrigo antinuclear.
Joice é artista plástica e publicitária de formação. Arte digital, coisa e tal. Ilustrações de poesia como terapia, legal, vão pro livro.
Já faz uns cinco anos que tem se dedicado a escrever poemas e contos. Diz ela que essa atividade agora é vital, pelo contrário não dorme. Ou se dorme tem pesadelos.
Sem escolha, cria, pinta e borda todo santo dia, como religião. Sua temática varia de sangue, alma e morte a noitadas de sinuca ou bebedeiras, rabiscada em palavras tão simples como um tapa na cara. Essa é a Mizzorbitante: uma Joice escrita e ilustrada que pode ser apreciada sem moderação.

Publicado primeiramente no 3:AM Magazine: Wednesday, November 4th, 2009.