Campanha Desacelera: Por Uma Vida Com Menos Pontos de Exclamação

Por Jana Lauxen.

O mundo anda um caos.

Vivemos dias em que até as plantas e os cachorros sofrem de estresse.

E por quê?

Porque perdemos a noção.

Porque passamos nossos dias olhando um relógio e correndo atrás dele, enlouquecidamente, abrindo mão de coisas importantíssimas para garantir um futuro que, na realidade, nunca vem com garantia nenhuma.

Pensando nisso e em meu adorável leitor, Jana Lauxen Empreendimentos lança a campanha Desacelera.

Idéias despretensiosas, elaboradas por esta que vos escreve, que tem por único objetivo tornar a sua (e, óbvio, a minha) vida mais leve, mais gostosa, menos estressante e mais feliz.

1. Pense no tempo como algo que está além do seu controle. Não adianta nada andar a 120 em uma auto-estrada onde é permitido somente 80, porque isso não vai fazer a menor diferença. Talvez você chegue dez minutos mais tarde, talvez nem isso. Nada que possa atrapalhar ou atrasar a sua existência.

2. Não desgaste sua energia sentindo ódio da fila do banco, do ônibus lotado, da internet que está lenta, da senhora à sua frente que não anda mais rápido, do filho do vizinho que não pára de chorar. Não vai resolver em nada se consumir em cólera, e você ainda pode desenvolver uma úlcera ou uma gastrite crônica. A fila por fim vai andar; do ônibus, na próxima parada, você vai descer; a internet vai melhorar se você fizer uma limpa nos arquivos mortos do seu computador; a senhora vai atravessar a rua e sair da sua frente e o filho do vizinho, acredite: vai parar de chorar. Sem que você precise arrancar um único fio de cabelo sequer.

3. Assista menos tevê e fique menos tempo na Internet. Isso vai desanuviar a sua cabeça de uma maneira impressionante.

4. Gentileza gera gentileza, já dizia o profeta. Tente ser mais educado e carinhoso com outros, e verá que a resposta será proporcionalmente igual, ou até maior. E não sou eu quem está dizendo. É uma lei, chamada Ação e Reação.

5. Cada pessoa é um ambiente. E se você anda por aí azedo e pessimista, aonde chegar vai trazer consigo azedume e pessimismo, ou seja: sua vida, onde quer que esteja, vai ser um saco. Então transforme seu ambiente e, quando a raiva ou o mau humor forem incontroláveis, mantenha-se distante dos outros. Não resolve nada poluir o ambiente de todo mundo com seu terrível amargor, pelo contrário: só torna uma situação difícil ainda pior.

6. Você não precisa estar o tempo inteiro fazendo alguma coisa útil ou que lhe proporcione lucros e vantagens. Não precisa! De vez em quando, se jogue no sofá e fique olhando o teto, ou durma no meio da tarde, ou cancele aquele compromisso chatíssimo e vá pra casa tomar uma cerveja. E o mais importante: não se culpe por isso. Nosso corpo também precisa relaxar para funcionar melhor quando for realmente necessário.

7. Se o teu emprego ou o teu namorado está te fazendo infeliz, abandone. Os dois, se for o caso. Não existe nada pior nesse mundo do que ter de conviver com uma situação que nos irrita e incomoda, diariamente. Termina com a nossa boa vontade, nosso bom humor, nossas boas idéias. Atravanca o caminho e elimina qualquer pequenina alegria, além de transformar qualquer probleminha em um problemão. É possível arrumar um emprego legal, e é possível encontrar uma pessoa legal. Ou, ao menos, se manter longe dos chatos.

8. Se estiver chovendo e você quiser sol, ou vice-versa, não adianta absolutamente nada ficar mal humorado. Primeiro porque o tempo não está nem aí para o que você gostaria que fosse, e vai continuar mandando sol ou chuva até quando achar melhor. Segundo porque aceitar o que não podemos mudar é tirar das nossas costas todo o peso desse mundo.

9. Quando prender o dedão na janela, bater o calcanhar, derrubar a bacia de pipoca ou morder a língua, não adianta amaldiçoar todos os santos. Estes pequeninos - porém irritantes - acidentes de percurso assombram todo mundo, e injuriar a todos, toda vez que isso acontece, é despender uma energia desnecessária por uma causa boba. A dica é clichê, mas sempre resolveu muito bem a questão: antes de gritar, chutar, quebrar ou bater, respire fundo, camarada. Funciona, e depois que a raiva passar, você vai se sentir muito melhor. Acredite.

10. Não queira controlar o mundo inteiro. Não há nada que estresse mais do que querer resolver o problema de todos os seus amigos e familiares, assim como os da humanidade em geral. Porque você não pode. O que você pode (e deve) é resolver os teus problemas. Só isso. Nada menos, nada mais.

11. Quando você estiver realizando alguma atividade, se concentre somente nela, e não naquilo que precisará fazer amanhã de manhã. Quando estiver tomando banho, esqueça o que vai fazer para o jantar e se concentre no banho. Quando estiver trabalhando, trabalhe, quando estiver assistindo tevê, assista tevê, quando estiver dormindo, durma. Um passo de cada vez ou você tropeça. Lembre-se de que o pato nada, voa e anda e não faz nenhum dos três direito.

12. Tente não falar tanto palavrão. Nenhuma pessoa é mais acelerada do que aquela que tem a boca mais suja. Tudo vira em bosta, merda e caralho, e isso não leva a nada. Evite. Além de ser benéfico para sua saúde mental, não pega nada bem sair por aí vomitando em tudo e em todos. É falta de educação, oras.

13. Faça coisas das quais gosta. Esse negócio de ficar esperando que a vida e que os outros te realizem e te satisfaçam é balela, além de ser impossível. Faça você mesmo por você.

14. Ser perfeccionista NÃO É LEGAL. Muitas pessoas adoram falar por aí que o são, como se isso fosse uma grande vantagem. Não é. É defeito, e dos piores. O sujeito perfeccionista vive insatisfeito, com aquela sensação terrível de que “poderia ter feito melhor”. Faça o que você puder fazer e relaxe. O velho provérbio “ninguém é perfeito” é a mais pura realidade. E se ninguém o é, não há de ser você que será.

15. Pare de se culpar. E também de culpar os outros. As pessoas – TODAS, sem exceção – fazem sempre o que podem, tentam sempre dar o melhor de si. Talvez o melhor de uma pessoa não signifique nada para outra, mas é o que ela tem para oferecer. A verdade é que só não erra nessa vida quem não faz absolutamente nada.

16. Guardar rancor é péssimo. É tomar veneno e querer que o outro morra envenenado. Também não resolve a questão e cria muitos outros problemas – em casos crônicos, até câncer. Seja lá qual for a melhor maneira que você encontrar, tente resolver estas pendências o quanto antes. Perdoe, esqueça, se decida, mas não conserve esse tipo de coisa no teu coração.

17. Veja todos os lados da situação. Acredite: você não é o dono da verdade. Tente se colocar no lugar das outras pessoas e imaginar o que você faria se estivesse na pele delas. Atenção: essa tarefa, aparentemente, parece fácil, mas é uma das mais difíceis. Até porque, enquanto seres humanos, temos uma dificuldade imensa em nos colocarmos no lugar do outro, principalmente se este outro for alguém pelo qual não simpatizamos. Mas tente. Vale a pena, e quando conseguimos, percebemos que a metade dos problemas que acreditávamos insolucionáveis, repentinamente estarão resolvidos.

18. Remova imediatamente essa agonia aí de dentro. Grite, chore, arranque os cabelos, tire satisfações, quebre o espelho. Mate isso dentro de você antes que isso te mate. Ou te ferre.

19. Encher a cara, se entupir de drogas, mudar de cidade e coisas do gênero não adiantam NADA. Depois que passar o porre e o barato, os problemas voltam, ainda maiores e mais fortes. Se quiser tentar, tente, mas acredite: os teus problemas estarão sempre junto de você, até que se decida resolvê-los.

20. Não adianta nada não comer frituras, nem gorduras, não tomar cerveja, nem refrigerante, caminhar, malhar e tudo o mais se emocionalmente você está gordo, flácido e sedentário. Primeiro que nosso corpo é um reflexo de tudo que se passa em nossa mente e, se ela não estiver organizada e em dia, nenhuma atividade saudável poderá te salvar.

Não. Isto não é um texto de auto-ajuda.

É um texto de mútua-ajuda.

Alternativas para tentar aliviar um pouco a sobrecarga.

Mas existem infinitas outras possibilidades.

Teve alguma idéia para desacelerar?

Compartilhe.

E vamos dar um jeito de levar nossas vidas mais leves.

Até porque, é a única coisa que possuímos de verdade.

jana2.jpg

SOBRE A AUTORA
Jana Lauxen tem 23 anos e vive metendo o bedelho onde não foi chamada. De tanto exercer a arte de dar opiniões sem que ninguém tenha perguntado nada, virou editora deste site, manda-chuva de seu blogue e, em 2009, lança seu primeiro livro, Uma Carta por Benjamin, pela editora Multifoco.

Publicado primeiramente no 3:AM Magazine: Saturday, December 20th, 2008.