Haikai Jornalístico e outros.

Por Cleiton Soares Zanini.
 
Pode o jornalista
Ser poético
E não ser realista?
 
I
 
Nos jardins da tua mente
Nadam felizes
Os peixes multicores.
 
II
 
Volto pra casa.
A chave gira.
A vida passa.
 
III
 
O gato esguio
Escala, sonolento,
A noite alvinegra.
 
IV
 
A mídia de massa
Amassa
A massa cinzenta.
 
V
 
O brilho prata
De seu sapato negro
Ilumina suas pegadas.
 
VI
 
Vê-se vida
Nas vestes
Da viúva.

Sobre o autor:

cleiton.jpg

Cleiton Soares Zanini [subs. masc.]: 1. Aquele que, nascido no dia 8 de setembro de 1981, nasce e morre todos os dias. 2. Indivíduo que ama (muito), come (muito), bebe (mais ou menos) dorme (pouco), estuda (bastante), trepa (nunca); entre outras coisinhas mais. 3. Fumante compulsivo, assumido e relutante em abandonar o vício, faz uso massivo do tabaco e da nicotina para suspirar as mágoas contidas em seu peito. 4. Pessoa dividida entre o mundo das ciências exatas e o das ciências (das artes) humanas. 5. Ser apaixonado pela (boa) música, pelos amigos, pelo cinema e pela literatura. 6. Personagem em eterna desconstrução. Sinônimos: Internet, Computação, Criatividade, Rock, Livros, Quadrinhos, cigarros, Marlboro Vermelho, afetividade, anti-censura, coração.

Publicado primeiramente no 3:AM Magazine: Thursday, December 10th, 2009.